quinta-feira, 30 de setembro de 2010

O Mar, como tudo começou

Bem vindos,
Tudo começou nos meus tempos de adolescente, por volta de 1984 nas pescarias com o meu Pai no Cabo Espichel.
Não tenho fotos desses momentos, que hoje recordo com muita saudade, mas tenho presentes algumas emoções vividas nessa época como o 1º peixe que apanhei, uma cavala à Bóia que luta....
Como eu gostaria de reviver esses momentos com o meu Pai,  mas desta vez na pesca embarcada, que é algo que tanto me agrada nos últimos tempos. E não à nada melhor do que fazermos o que mais gostamos, com quem gostamos, livre de tudo e de todos, é assim que me sinto quanto estou no mar a pescar, sozinho ou com amigos.Mas infelizmente, o Bigodes "Alcunha do meu Pai" já não está entre nós.
Foi um caranguejo que o levou, "expressão que li em outro Blog relativamente à designação de alguém que não resiste à maldita doença do cancro" malditos caranguejos, não os que andam no mar, mas os que estão dentro de alguns de nós.
Voltando ao passado, nessa altura pescava com uma cana que tinha cerca de 1,80 m, fora herdada do meu Avô, recordo-me que era uma cana branca de dois elementos, penso que era de fibra e os fios que uniam os passadores eram cor verde tropa com o punho em cortiça, material que nos tempos actuais se está a utilizar muito nos punhos das canas, devido às suas boas propriedades, como leveza, resistência,sensibilidade, enfim uma serie de coisas boas que já li por ai em relação à cortiça,.Os antigos lá deveriam saber estas coisas, ou talvez não, bem no fundo era a minha 1ª cana.
O meu Pai pescava com uma cana telescópica de 4,5m, a qual também ficou para mim.
Muitos baldes de Peixe foram trazidos a pé por aquelas falésias, um verdadeiro caminho de cabras.
Para mim, parecia que tinha percorrido quilómetros até chegar cá acima, muitas noites passadas ao vento e frio a ver as bóias a subir e descer, tanto para dizer e recordar, experiências que no fundo deixaram-me cá dentro o bichinho da pesca e as quais hoje em dia tento transmitir aos meus filhos, um casal no momento em que escrevo, tendo ele 5 e ela 12, penso que ele irá ter este vicio, e ela, por outros factores, talvez não.
Digo que ele terá esse vicio pela forma como reage quando chego das minhas pescarias, gosta de ver os peixes, de lhes mexer e já sabe o nome de muitos que lhe ficam na memoria, estando sempre a perguntar quando é que o vou levar à pesca.
Tudo a seu tempo, muitas pescarias havemos de fazer espero eu.


O mais engraçado é que cerca de 20 anos depois de ter herdado a cana do meu Pai, é que a utilizei pela 1ª vez,o material aguentou-se bem, sem qualquer manutenção desde à tanto tempo, fazendo junto com o meu amigo Gonçalo a pescaria que podem ver na foto abaixo. Também no Cabo Espichel para recordar os meus velhos tempos e fazendo crescer mais ainda este vicio que é a Pesca.

O motivo desta pausa na Pesca à Cana, deve-se ao facto de ter optado a partir de 1988 por praticar Caça Submarina, deixando assim a cana de lado.
Em 2008 voltei a pescar à cana, ano em que deixei de praticar Caça Submarina
A partir daqui e dada a calma que me transmite o mar, é que se inicia a minha historia e evolução no Mundo da Pesca, a qual vou tentar ir descrevendo aos poucos, dando ainda a conhecer alguns momentos do passado.
Actualmente dedico-me mais à pesca embarcada e cada vez que o faço sinto que tenho tanto para aprender.
Espero que gostem.                             



 2009 Pesca Embarcada Setúbal o inicio do vicio da Pesca Embarcada.




 2010 1ª pescaria e 1º peixe da minha mulher uma Choupa

6 comentários:

sara disse...

Adorei tudo o que li! Foi interessante conhecer toda a tua evolução deste fascínio pelo mar.. Espero que nunca desistas de ter estes momentos de felicidade....a meu lado!!lol Quando é que vamos à pesca? :D

jaime disse...

Amigo e sobrinho
Parabens pelo teu blog.
É com orgulho que li toda a tua história dos teus primeiros passos da arte de pescar e fiquei satisfeito ao ter conhecimentoque te iniciaste com a "caninha" do meu velhote.Espero como já tive a oportunidade de continuar a fase-te companhia e tentar ultrapassar o teu rekord que já foi meu mas de pouca dura. vai haver mais oportunidades de descrever aqui aventuras que ficarão para a história.Abraços

catarina disse...

ola tio sou eu a tita gosto muito do teu blog e muito inspirador

Rebolo disse...

Olá tita.
O tio ficou muito contente por ver este teu comentário.
Muito obrigado, espero que continues a acompanhar o blog.
Quem sabe se um dia ainda vais à pesca com o tio:)
Beijinhos grandes

Anónimo disse...

tiago Escolhe sempre o bom caminho,para atingires os teus fins.Sonha o que queiras sonhar.Vê onde queres ir se,és o que querias ser VIVE.A morte não é a maoir perda da vida é a maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos .«O Bigodes aonde estiver terá muito orgulho de ti »Sê feliz a vida é uma passagem com muito AMOR beij tua mãe LENA

Rebolo disse...

Obrigado querida Mãe.
As tuas palavras deixaram-me comovido.
Estás sempre no meu coração.
Amo-te muito, Obrigado.